Falhas de programação visual a serem evitadas no escritório


Falhas na programação visual

O escritório da sua empresa é muito mais do que um simples espaço funcional para a execução de tarefas. Ele é uma plataforma de imersão no universo da sua marca. Tanto para os clientes, quanto para os colaboradores. Por isso, é crucial planejar e gerenciar como a mensagem a ser transmitida será aplicada. Assim é possível evitar falhas na programação visual que acabam prejudicando o andamento do trabalho. 

Muitos empreendedores e diretores de negócios não dão a devida atenção para os potenciais dos espaços disponíveis. Então, perdem a oportunidade de torná-los uma ferramenta capaz de aumentar o engajamento dos colaboradores, reduzir o estresse e estimular a produtividade.

Para que bons resultados sejam alcançados nesse sentido, é necessário que a Arquitetura Corporativa seja condizente com os valores e a cultura da companhia. Tudo deve convergir para a mesma direção, para o mesmo objetivo. A linguagem e os apelos visuais precisam estar muito bem alinhados. Mas, no post de hoje, iremos destacar as falhas que costumam surgir com a programação de fatores como esses. 

Fique atento e evite os problemas a seguir!

Consequências dos erros de programação visual

É a programação visual que orienta como a comunicação visual deve se comportar nos diferentes suportes e mídias. Seu objetivo é criar uma unidade entre as aplicações, de modo que a identidade da marca seja não só respeitada, como também fortalecida. Entretanto, quando ela não é coordenada de maneira consistente no escritório, diversas consequências podem surgir. Tais como:

  • – Enfraquecimento do senso de pertencimento;
  • – Desengajamento do time;
  • – Fadiga visual;
  • – Perdas na qualidade produtiva;
  • – Confusão na execução de algumas tarefas.

Certamente você não quer provocar complicações como essas. Até porque, contorná-las pode exigir um grande esforço de gestão e também de investimento. Portanto, saiba quais falhas na programação visual devem ser evitadas em seu escritório.

Identidade frágil

Esse problema acontece quando as aplicações da marca e de seus atributos não estão em total harmonia com a identidade definida. Alguns reflexos disso são cores em tons não previstos, adaptações inadequadas no logo e formas que não expressam a personalização do negócio. Muitas vezes, são detalhes que, tratados de qualquer maneira, prejudicam a coerência e a consistência da comunicação visual.

Descaracterização da marca

O nível mais avançado do que foi mencionado acima é a descaracterização da marca. Ela acontece quando as aplicações feitas na Arquitetura Corporativa ignoram, ou não respeitam, o manual de identidade visual. Assim, as cores, materiais, design e outros fatores caminham em sentido diferente da marca. O que a torna imperceptível no escritório e a enfraquece.

Excesso de informação

A programação visual estuda e viabiliza soluções para que a identidade da empresa se apresente de modo harmônico e coeso nas diferentes plataformas e mídias. Porém, quando ela não é bem planejada, ou quando não há o compromisso para com suas diretrizes, corre-se o risco de pecar pelo excesso de informação na tentativa de deixar as características da marca evidentes. Logo, surge o efeito de poluição visual.

Sinalização ignorada

A sinalização do ambiente também é parte da comunicação visual. Portanto, também precisa ser englobada nos esforços de uma programação minuciosa. Mas, nem sempre isso acontece e o resultado são placas, displays e telas (entre outros elementos) que destoam no ambiente e também o poluem.

Quer saber mais? Então, complemente sua leitura com o nosso artigo em que relacionamos 5 erros de comunicação visual na Arquitetura!