Como atua a gestão da qualidade na construção civil?


Gestão da qualidade na construção civil

Processos, equipes, insumos, materiais, equipamentos, prazos e verbas. Diversos fatores estão envolvidos na execução de uma obra. Para que tudo seja coordenado de forma eficiente e econômica é indispensável que seja aplicada uma boa gestão da qualidade na construção.

Graças ao surgimento das novas tecnologias esse tipo de trabalho vem se tornando cada vez mais assertivo. Assim, o nível de excelência tem se elevado, o que exige dos profissionais do setor constante aperfeiçoamento. Eles precisam estar atualizados sobre novos softwares, técnicas e normas. Portanto, é possível concluir que a qualidade é um conceito que sofre transformações.

No post de hoje, veremos quais medidas visam assegurá-la no cenário da construção civil atual.

Benefícios da gestão da qualidade na construção

A gestão da qualidade na construção está dentro das responsabilidades do Gerenciamento de Obras. Por meio dela é possível fortalecer o cumprimento dos padrões relacionados a questões como segurança, produtividade, cuidados com o meio ambiente, cumprimento de prazos e previsão de uso de materiais. Além disso, as práticas de qualidade ajudam a reduzir erros e desperdícios. Portanto, contribuem para a economia do projeto.

É essencial que a equipe contratada tenha experiência e certificações que atestem sua capacidade de seguir as normas vigentes e de entregar resultados sólidos, duradouros e funcionais.

A gestão da qualidade atua tanto do lado dos prestadores de serviço, quanto do cliente. No primeiro caso, ela orienta, corrige e providencia condições para que os profissionais realizem o melhor trabalho possível. No segundo, garante a satisfação sobre o produto final.

A seguir destacamos 3 pilares que norteiam o compromisso com a qualidade na construção. Saiba mais!

Planejamento 

Cabe aos responsáveis pelo Gerenciamento de Obras analisar o local exato da execução da obra a fim de assegurar todas as condições necessárias para o bom desenvolvimento das atividades. As adequações do solo, os EPIs, o maquinário, as melhorias estruturais, os fornecedores e as tecnologias a serem empregadas são alguns dos fatores envolvidos. Também é importante prever as manutenções que possam ser necessárias.

Deve ainda fazer parte do planejamento a definição de indicadores que nortearão as etapas e os resultados apresentados. As necessidades da equipe são outro ponto que não pode ser ignorado. Muitas vezes é importante providenciar treinamentos específicos.

Indicadores

Contar com indicadores de qualidade claros é crucial para elevar a assertividade da obra e o padrão do empreendimento. Porém, para que eles possam ser seguidos, os profissionais devem estar alinhados e bem orientados quanto aos processos e as ferramentas a serem utilizados ao longo do projeto.

Em seu decorrer é normal que alguns parâmetros sejam revisados. Assim é possível ajustar os esforços em direção às verdadeiras necessidades e às reais condições disponíveis. Nessa atuação dinâmica é inviável fazer uso apenas de planilhas e documentos em papel. Então, softwares de gestão são indispensáveis. Sobretudo aqueles que estão adaptados às tecnologias mobile.

Normas

Como já mencionado – e não é novidade -, na construção civil há normas a serem cumpridas. Por isso, muitos critérios de qualidade advêm das exigências estabelecidas pelos órgãos competentes. Contudo, esse fator não anula os esforços adicionais implementados para se atingir um nível de excelência contrastante no mercado.

Além do cumprimento das atuais especificações, os gestores precisam estar um passo à frente para acompanhar tendências e mudanças efetivas nas normas de qualidade na construção.

Quer saber mais? Complemente sua leitura com o nosso artigo em que relacionamos os principais pilares da gestão de obras. E, claro, continue acompanhando o nosso blog!