5 medidas de Arquitetura para o ambiente escolar pós-pandemia


Novos costumes e novos cuidados passaram a fazer parte da vida das pessoas por conta da luta contra a COVID-19. Na escola, claro, não poderia ser diferente. Além das medidas de prevenção comportamentais, a Arquitetura do ambiente escolar pós-pandemia também deverá trazer soluções para um convívio e uso do local mais seguros.

Embora atendam a uma urgência sanitária, as mudanças também acompanham as transformações na educação. Muitas delas, reflexos da própria intensificação do aprendizado à distância, decorrente do isolamento social. Assim, espaços diferenciados ganharão maior adesão tendo em vista as novas metodologias de ensino.

Acompanhe a seguir e fique por dentro!

Como o ambiente escolar pós-pandemia pode ser mais saudável? 

Adaptações exigem sempre um pouco mais de atenção. Sobretudo, quando elas envolvem questões tão delicadas de saúde. Portanto, é essencial que as instituições se mantenham atentas à sensibilidade dos ocupantes e busquem praticar abordagens mais acolhedoras.

Todos os profissionais deverão estar engajados com os cuidados a serem praticados e com o seu papel de liderança quanto à adequada utilização dos novos espaços. Os alunos irão se deparar com outros cenários e outras maneiras de interagir com os recursos disponíveis. Por isso, precisarão ser orientados e reeducados. Só assim a Arquitetura do ambiente escolar pós-pandemia se tornará realmente eficiente e saudável.

Mas, quais medidas arquitetônicas poderão ser projetadas para assegurar a presença física de alunos e professores? Abaixo relacionamos 5 delas!

1. Maior contato com a natureza

A aprendizagem para além das salas tradicionais já despontava como uma tendência. O contato dos alunos com a natureza é capaz de estimular a atenção e o envolvimento com a disciplina – que não precisa ser apenas Ciências e Biologia. Além disso, os espaços integrados com o exterior ajudarão a facilitar esse contato com o mundo natural. Até mesmo as salas de aula poderão ser abertas a locais como pátios e jardins.

2. Open space

Áreas mais amplas e abertas facilitarão o espaçamento entre os usuários e, consequentemente, as medidas de prevenção. O open space é um layout que passou a ser muito explorado pelas empresas. Agora, as escolas também encontrarão nele novas maneiras de direcionar as interações, os processos colaborativos e a dinamicidade de uma educação mais ágil, prática e segura

3. Pé-direito alto

Espaços com pé-direito alto ajudarão a dar mais amplitude para o ambiente escolar pós-pandemia. Com eles será interessante explorar a iluminação e a ventilação naturais, que propiciam a renovação do ar. Além disso, o teto mais elevado criará uma sensação maior de liberdade para criar e produzir.

4. Acesso facilitado à higienização

Fontes de água e de higienização deverão ter acesso facilitado no ambiente escolar pós-pandemia. Então, a localização dos banheiros, por exemplo, terá de ser repensada a fim de permitir uma utilização mais frequente e também mais segura. Entretanto, sem prejudicar o andamento das aulas.

5. Fortalecimento da sinalização

A Arquitetura também é responsável por prever a sinalização adequada em cada edifício. No caso das escolas, ela deverá reforçar orientações como a quantidade de pessoas ideal a cada ambiente e fluxo, assim como o distanciamento físico necessário. Com uma comunicação visual bem programada será possível evitar confusões e reforçar as medidas de prevenção.

Nós da DABUS ARQUITETURA estamos preparados para somar forças com a sua instituição e assim criar novos espaços de ensino, alinhados com as atuais necessidades sanitárias e pedagógicas. 

Fale com nossos especialistas pelo WhatsApp e saiba mais: (11) 98327-6060.