Boas práticas para um processo de obra sustentável


Obra sustentável

De acordo com o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, a Construção Civil é responsável por cerca de 30% das emissões de gases do efeito estufa. Portanto, estamos falando de um setor que necessita urgentemente de soluções capazes de reduzir os impactos ambientais. Há diferentes aspectos a serem trabalhados para que seja possível implementar um processo de obra sustentável. Hoje, veremos alguns deles.

Juntamente às pressões da sociedade, novas legislações e tratados internacionais impulsionam um posicionamento mais responsável e engajado por parte de todos aqueles que fazem parte da cadeia. Assim, não são apenas as construtoras que devem se comprometer com a evolução. A indústria é outro agente fundamental no desenvolvimento de produtos, assim como os arquitetos e engenheiros na elaboração de projetos devidamente alinhados.

Acompanhe e saiba mais!

A obra sustentável na história recente

Foi somente após a Crise do Petróleo, na década de 70, que o conceito de construção sustentável passou a ser trabalhado com atenção pelos arquitetos. Então, devido às consequências geradas, eles tiveram de encontrar estratégias para amenizar a exploração de energia e também novas formas de utilizá-la.

Por conta do vertiginoso crescimento das cidades, os cuidados ambientais, por parte da Construção Civil, foram massivamente negligenciados ao longo de mais da metade do século XX. Por isso, esse período foi responsável por graves e duradouros impactos. Entretanto, a partir de sua segunda metade os prejuízos ganharam atenção e as práticas vigentes foram revisadas.

Mas uma evolução realmente significativa só se deu após a Crise do Petróleo, anteriormente mencionada. Os anos 90 foram essenciais para o que hoje entendemos como obra sustentável. A causa se tornou mais forte. Novos grupos e órgãos surgiram para discutir o tema e buscar saídas mais bem formadas. Algumas delas você pode conferir abaixo. Separamos as boas práticas em 5 eixos cruciais.

1. Materiais

A escolha dos materiais é um aspecto de suma importância quando o objetivo é desenvolver uma obra sustentável. Assim, é necessário encontrar bons fornecedores de produtos criados a partir de métodos menos agressivos e de itens reciclados ou reaproveitados. Alguns exemplos são: concreto britado, tijolo de adobe e madeiras reflorestadas. É imprescindível que o seu desenvolvimento seja responsável. Do contrário, parte do processo não estará cumprindo o objetivo. 

Vale lembrar que esses produtos devem contar com certificados adequados, declarações ambientais e garantia de qualidade.

2. Logística

A emissão de poluentes relacionada à logística da construção também deve ser evitada. Uma excelente estratégia nesse sentido é utilizar produtos locais, próximos à obra. Desse modo, além de estimular os negócios da região, reduz-se a emissão de gases durante o transporte. Outra providência é estabelecer uma escolha criteriosa dos veículos que serão usados. A decisão, claro, deve ser pelos menos poluentes. 

3. Solo

A atenção ao solo no canteiro precisa ser intensa. Ao optar por determinados tipos de produtos é possível preservar os recursos locais. Como o uso do concreto britado para pavimentação, que evita a exploração de pedras naturais. Outro cuidado a ser garantido é com relação à movimentação de terra e aos processos de corte e perfuração em concreto. Ainda na etapa do projeto, deve-se buscar promover um equilíbrio entre cortes e aterros com solo local. Isso trará um racionamento para os bota-foras, a importação de solo e a consequente geração de poluição. 

4. Particulados

A geração de resíduos, como os particulados, pode prejudicar a respiração, agravar doenças, poluir o solo e os rios, prejudicar as plantas, entre outros danos. Contudo, há diferentes medidas para conter esses problemas. Tais como: uso de barreiras físicas e aspersão de água em construções e demolições; aplicação de materiais pré-fabricados; manutenção frequente do armazenamento de insumos; aplicação de cobertura em entulhos. 

5. Descarte 

O descarte consciente tem de ser uma meta obrigatória. A separação de materiais para reciclagem faz toda diferença para uma obra ecologicamente responsável. O descarregamento dos entulhos precisa ter um destino adequado às práticas sustentáveis. O entorno do canteiro tem de ser preservado!

Saiba mais sobre construção. Temos um artigo muito interessante, que aborda o estudo de Viabilidade Técnica da obra. Vale a pena conferir!

Referências: AECweb, eCycle.