Escolas em 2021: 4 lições cruciais a aprender


Escolas em 2021

Os desafios no processo do ensino-aprendizagem deverão continuar a fazer parte das escolas em 2021. As complicações impostas pelo surto do novo coronavírus ainda implicarão em adaptações essenciais nas aulas, sejam elas à distância ou não.

A volta ao ambiente físico levanta uma série de dúvidas, assim como grupos que o defendem, enquanto outros não veem segurança para o retorno à sala. Mas, independentemente da opinião nesse sentido, é muito importante que as instituições mantenham a disposição para seguir aprendendo com as mudanças.

No post hoje queremos destacar algumas lições indispensáveis que se levantarão ao longo da atuação escolar.

Fique atento!

A transformação digital entre as escolas em 2021

Para muitas instituições de ensino a transformação digital aconteceu de maneira compulsória. Isso porque a saída do espaço físico para o remoto se deu de um dia para o outro. Porém, além dos equipamentos disponíveis, os profissionais e órgãos envolvidos se viram obrigados a reverem seus materiais, métodos e formas de avaliação. 

Assim, é possível afirmar que o período de crise acelerou a evolução não apenas do uso da tecnologia, como também abarcou a cultura, os processos e os valores educacionais.

As escolas em 2021 terão de se empenhar para acompanhar os reflexos permanentes de uma série de mudanças profundas. Por isso, relacionamos a seguir lições cruciais que terão de ser aprendidas por professores e instituições.

1. Ensino híbrido

O retorno ao ambiente físico não deverá suprimir as aulas ou lições realizadas à distância. Seja por medida de precaução ou como forma de continuar explorando as potencialidades da tecnologia. Portanto, o ensino híbrido deverá fazer parte do novo normal das escolas e alunos. Não há volta! Velhos hábitos e paradigmas precisarão ser abandonados. 

2. Gestão humanizada

As aulas remotas implicaram uma maior aproximação dos educadores com a realidade e o cotidiano de cada família. Esse estreitamento não deverá desaparecer, o que exigirá uma gestão mais humanizada. A família também sentirá o impacto disso, corroborando para o sucesso do aprendizado.

3. A escola em 2021 como negócio

Com a crise, as instituições tiveram de aprimorar o seu olhar de negócios para poderem seguir em frente. Então, além dos ajustes no âmbito pedagógico, elas terão de se dedicar de modo sistêmico a questões como marketing, planejamento, gestão financeira e dados preditivos.

4. Empoderamento

A adoção de dispositivos, como o computador e o celular, evidenciou o aluno como um importante decisor no processo da aprendizagem. Portanto, esse empoderamento, que assume também outras nuances, é uma lição crucial a ser assimilada pelas escolas em 2021. É preciso entender que, daqui para frente, o aluno será, cada vez mais, o protagonista.

Quer saber mais? Então, leia também nosso artigo sobre o futuro da edição escolar!

Referências: Escolas Exponenciais, Revista Educação, GZH