5 fatores analisados no Estudo de Viabilidade Técnica da obra


Estudo de Viabilidade Técnica da obra

Toda obra é um empreendimento que depende de uma série de fatores para ser bem-sucedido. Em casos comerciais e corporativos o investimento requer ainda mais cuidado. Portanto, é imprescindível que, antes da construção, seja realizado o Estudo de Viabilidade Técnica

Por meio de pesquisas, cálculos e análises é possível compreender como a obra se comportará. Tanto ao longo do processo, quanto após a sua finalização. Se respostas negativas forem encontradas para a maioria das questões, então, novos caminhos precisam ser traçados. Assim é possível evitar prejuízos sem volta.

No post de hoje veremos alguns dos principais aspectos contemplados nessa fase. Conheça!

O que é o Estudo de Viabilidade?

Como já sinalizado, o Estudo de Viabilidade Técnica é a etapa que antecede a obra propriamente dita. É por meio dele que se identifica se um empreendimento (independentemente do porte) é ou não vantajoso. Mas, para tanto, vale destacar que é necessário contar com uma equipe de profissionais experientes e dedicados a mergulharem fundo no projeto.

Além de considerar custos, materiais, durabilidade, potenciais e riscos, a pesquisa também precisa indicar quais os melhores métodos e técnicas a serem aplicados. Cada caso exige soluções próprias!

A seguir relacionamos mais detalhes sobre os pontos que precisam ser verificados e planejados no Estudo de Viabilidade Técnica.

1. Terreno

A localização do empreendimento é um fator de suma importância. Sobretudo se ele for comercial. No entanto, antes de defini-la de vez, é preciso checar se o terreno comportará a construção pretendida.

Preços, tamanho da obra, condições do solo, zoneamento urbano, taxas municipais e impostos são alguns dos aspectos a serem levados em conta.

2. Legislação

A atenção com a legislação local requer um estudo à parte. É necessário buscar adequações às leis urbanísticas do município, como o Plano Diretor e as normas de segurança. Ignorar qualquer uma das determinações pode colocar tudo a perder. Então, nenhum detalhe deve ser deixado de lado!

3. Mercado

Para empreendimentos comerciais, corporativos e imobiliários a dimensão mercadológica é essencial. Por isso, nesses casos, o Estudo de Viabilidade Técnica deve compreender se a região pretendida é ou não propícia para os negócios.

O público-alvo se encontra ali? Há demanda em volume satisfatório? A marca será valorizada? São algumas perguntas que ajudam a guiar a tomada de decisão.

4. Implantação

As possibilidades de arranjo para a composição dos pavimentos e toda a infraestrutura necessária são condições checadas no estudo de implantação e volumetria.

5. Viabilidade econômica 

O fluxo financeiro para a realização da construção tem de ser planejado com cuidado. A obra não terá início se não houver condições financeiras suficientes para concluir cada etapa. Também não terá prosseguimento se, após finalizado, o empreendimento apontar a custos muito elevados. Ele precisa ser sustentável do ponto de vista econômico! Portanto, esse estudo verifica se a obra pode ser lucrativa e, até mesmo, se pode ser devidamente finalizada.

Naturalmente, existem outros fatores que se somam a estes mencionados acima. Como já comentado, cada obra demanda soluções específicas, às quais os profissionais responsáveis precisam estar muito atentos.

Saiba mais sobre o assunto em nosso artigo que elenca os pilares da gestão de obras!